Calda Bordalesa ASCENZA

Calda Bordalesa ASCENZA

Tipo
Fungicidas
Composição
Cobre 20% Sob a forma de sulfato de cobre e cálcio.
Família Química
Inorgânico-cobre
Tipo de Formulação
Pó molhável (WP)
Número de Registo
APV 1818
Embalagem
500 g,5 kg,25 kg
Il s'agit d'un contenu exclusif réservé aux membres du site ASCENZA.
Ficha técnica
59.58KB
Open Download
Il s'agit d'un contenu exclusif réservé aux membres du site ASCENZA.
Ficha de Dados de Segurança
463.66KB
Open Download
Informação Toxicológica
Environmental Hazard

A sua a segurança durante a aplicação é muito importante para a ASCENZA. Garanta por isso que cumpre todas as recomendações na preparação e aplicação da calda. Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança. Em caso de intoxicação contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV), telefone nº 800 250 250.

Descrição do Produto
Resumo

O produto CALDA BORDALESA ASCENZA é um produto que de forma preventiva, pelo que os tratamentos devem ser efetuados ao aparecimento dos primeiros sintomas das doenças.

Características principais

  • Este produto do portfólio Ascenza, é um fungicida cúprico à base de sulfato de cobre previamente neutralizado com cal.

Observações

  • Se aplicado com tempo frio e chuvoso o produto pode provocar fito toxicidade. Como tal a Ascenza não recomenda a sua aplicação durante a floração se esta decorrer com tempo frio e chuvoso.
  • Na pereira e macieira o produto não deve ser aplicado após o aparecimento da ponta verde das folhas (estado D).
  • Este é um fungicida utilizável em Modo de Produção Biológico, de acordo com a legislação.
  • Seguir as recomendações de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.
Características principais

- CALDA BORDALESA ASCENZA, é um fungicida cúprico à base de sulfato de cobre previamente neutralizado com cal.

- Atua de forma preventiva, pelo que os tratamentos devem ser realizados antes da cultura ser atacada.

Observações

- Se aplicado com tempo frio e chuvoso pode provocar fitotoxicidade. Nunca aplicar durante a floração se esta decorrer com tempo frio e chuvoso.

- Na pereira e macieira nunca aplicar após o aparecimento da ponta verde das folhas (estado D).

- Produto utilizável em Modo de Produção Biológico, de acordo com a legislação.

- Seguir as recomendações de acordo com o Serviço Nacional de Avisos Agrícolas.

- Evitar deixar a calda em repouso.

Informações Complementares

A eficácia e a eventual fito toxicidade resultantes de utilizações menores são da inteira responsabilidade do utilizador do produto fitofarmacêutico.

  • Para mais informações consulte a Ficha de Dados de Segurança do produto.
  • Os produtos fitofarmacêuticos (PFF) homologados em Portugal podem ser utilizados em proteção integrada (PI). A escolha do PFF deve ter, obrigatoriamente, em consideração a aplicação dos princípios gerais da PI e as normas definidas para a cultura.
Marca comercial

ASCENZA

Sobre a aplicação
Modo de Aplicação

Para uma correta aplicação do produto, a ASCENZA recomenda:

  • Calibrar corretamente o equipamento, assegurando a uniformidade na distribuição de calda no alvo biológico pretendido. 
  • Calcular o volume de calda gasto por ha em função do débito do pulverizador (L/min), da velocidade e largura de trabalho (distância entrelinhas). 
  • Nas fases iniciais de desenvolvimento das culturas aplicar a calda com a concentração indicada. 
  • Em pleno desenvolvimento vegetativo, adicionar a quantidade de produto proporcionalmente ao volume de água distribuído por ha, pelo pulverizador, de forma a respeitar a dose.
     
Modo de preparação

No recipiente onde se prepara a calda deitar metade da água necessária. Numa vasilha juntar a quantidade de produto a utilizar com um pouco de água e agitar continuamente até obter uma pasta homogénea e sem grumos. 

  • Deitar esta pasta no recipiente e completar o volume de água, agitando sempre.

Evitar deixar a calda em repouso.

Precauções biológicas
  • Se este produto for aplicado com tempo frio e chuvoso pode provocar fito toxicidade.
  • Na videira nunca aplicar durante a floração se esta decorrer com tempo frio e chuvoso.
  • Na pereira e macieira nunca aplicar após o aparecimento da ponta verde das folhas (estado D).
  • No pessegueiro, quando da aplicação feita ao entumecimento dos gomos, usar grandes volumes de calda, mas evitar pulverizações a altas pressões, para não destacar os gomos.
  • Em pessegueiro, nunca aplicar após a rebentação.
Usos Menores
  • Eucalipto - viveiro: antracnose; concentração: 500 g/hL.
  • Tratar em condições favoráveis à doença e, repetir se necessário efetuando um máximo de 3 aplicações. Volume de calda: 100 ml/m2.
  • Kiwi: bacteriose; concentração: 1250 g/hL.

Tratamentos a realizar no fim da colheita, durante a queda das folhas e, após a poda de inverno. Número máximo de aplicações: 3. Volume de Calda: 1000 L/ha.

  • Mirtilo: Antracnose (Colletotrichum gloeosporioides); 1250-2500 g/hL - Intervalo de segurança: 7 dias.

A eficácia e a eventual fito toxicidade resultantes destas utilizações menores são da inteira responsabilidade do utilizador do produto fitofarmacêutico.

Intervalo de segurança

 

7 dias em batateira, oliveira, tomateiro e videira.

Aplicações por cultura
Batateira
Problemas
Míldio
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Os tratamentos deverão realizar-se quando o tempo decorra chuvoso.
Macieira
Problemas
Cancro (Nectria galligena)
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Fazer três tratamentos respetivamente no início, meio e fim da queda das folhas. Em casos graves, aplicar ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa.
Problemas
Pedrado
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Realizar os tratamentos de acordo com as indicações do Serviço de Avisos. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas usando a concentração mais baixa. Os tratamentos seguintes deverão ser realizados com produtos não cúpricos, homologados para o combate a esta doença..
Nectarina
Problemas
Lepra
Dose
1.25-3.75kg/hL
Observações
Realizar uma aplicação à queda da folha usando a concentração mais elevada. Repetir ao entumescimento dos gomos com a concentração mais baixa. Se necessário prosseguir as aplicações com um fungicida não cúprico, homologado para o combate a esta doença.
Oliveira
Problemas
Gafa
Dose
1-2kg/hL
Observações
Realizar o primeiro tratamento antes da queda das primeiras chuvas outonais. Se as condições climáticas decorrerem favoráveis ao desenvolvimento da doença, repetir os tratamentos passadas cerca de três semanas.
Pereira
Problemas
Cancro (Nectria galligena)
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Fazer três tratamentos respetivamente no início, meio e fim da queda das folhas. Em casos graves, aplicar ao entumescimento dos gomos usando a concentração mais baixa.
Problemas
Pedrado
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Realizar os tratamentos de acordo com as indicações do Serviço de Avisos. Realizar uma aplicação no estado de repouso vegetativo, quando se pretende combater o pedrado da pereira, com a concentração mais elevada. Tratar ao aparecimento da ponta verde das folhas usando a concentração mais baixa. Os tratamentos seguintes deverão ser realizados com produtos não cúpricos, homologados para o combate a esta doença.
Pessegueiro
Problemas
Lepra
Dose
1.25-3.75kg/hL
Observações
Realizar uma aplicação à queda da folha usando a concentração mais elevada. Repetir ao entumescimento dos gomos com a concentração mais baixa. Se necessário prosseguir as aplicações com um fungicida não cúprico, homologado para o combate a esta doença.
Tomateiro
Problemas
Míldio
Dose
1.25-2.5kg/hL
Observações
Realizar aplicações no viveiro e imediatamente após a transplantação quando o tempo decorra chuvoso.
Videira
Problemas
Míldio
Dose
1.25-2kg/hL
Observações
Realizar os tratamentos de acordo com o Serviço de Avisos. Na falta deste iniciar os tratamentos imediatamente após o aparecimento dos primeiros focos na região. Na sua ausência realizar o primeiro tratamento no estado de 7-8 folhas. Os tratamentos seguintes deverão ser realizados quando as condições climáticas favorecerem o desenvolvimento da doença.